Curiosamente Paul Nogier não descreveu protocolos de tratamentos para combater as migrâneas (ou enxaquecas). Em todos os seus escritos, ele não deixou traços bem preciso de um esquema de tratamento desta patologia. Contudo, a auriculoterapia é, sem dúvida, uma das técnicas mais eficazes para diminuir a intensidade e a frequência das crises de migrâneas. Nós revisaremos neste artigo os pontos auriculares possíveis e prováveis à ser utilizados nesta verdadeira doença que é um flagelo no plano social.

O tratamento das cefaléas de tensão pelos pontos auriculares é, para complicar, muito mais aleatório e frequentemente decepcionante.

Lembretes:

A migrânea. Como reconhecê-la? A migrânea é uma doença e não um sintoma, enquanto que as cefaléias são um sinal entre outros.

Epidemiologia da migrânea:

  • Prevalência de = 7,9% nos adultos;

  • 2,8 vezes mais frequentemente observada nas mulheres;

  • 90% das migrâneas começam antes dos 40 anos

  • 64 à 88% das pessoas que sofrem de migrâneas apresentam-na sem aura (dor de cabeça comum)


  • Sinais clínicos

    1.Migrâneas sem aura

    Os principais sinais:

    A migrânea é definida como uma cefaléia recorrente, segundo critérios clínicos estabelecidos. A cefaléia apresenta ao menos duas das características seguintes:

  • Ela acontece de um lado do crânio

  • Ela é pulsante

  • Ela é suficientemente importante a ponto de alterar as atividades de vida diária

  • Ela se agrava com as atividades cotidianas


  • Além disto, existe um dos seguintes sinais associados: vômitos ou mesmo ânsia, foto ou fonofobias.

    Outros sinais clínicos constituem o diagnóstico das migrâneas, como a existência de um terreno familiar de migrâneas. Presença prodrômica de: bocejos, fadiga, problemas de humor, problemas digestivos, poliúria.

    Equivalentes migranosos na infância: vertigens paroxísticas benignas na infância, vômitos cíclicos, migrâneas abdominais correspondentes às famosas “crises de acetona”.

    Terreno vertiginoso

    Circunstâncias desencadeantes (menstruação, alimentos, vinho branco, excessos alimentares,dormir demais ou dormir de menos)

    Desaparece nos dois últimos trimestres da gravidez em ¾ das portadoras de migrâneas, em particular àquelas que sofriam de recrudescência catamenial.

    Aspecto unilateral de crises em báscula.

    Conceito de sono "reparador de enxaqueca" alívio constante depois de tomar triptanos.


    2.Migrâneas com aura

    As auras migranosas correspondem aos sintomas neurológicos focais transitórios precedentes comumente às cefaleias, mas podem igualmente co-existir com elas, ou mesmo sucedê-las.

    A aura corresponde ao menos um de três sinais seguintes:

    1. sintomas visuais completamente reversíveis incluindo os sinais positivos (pontos luminosos, estrelas, linhas) ou negativos (perda de visão)

    2. sintomas sensitivos completamente reversíveis incluindo os sinais positivos (formigamento ou sensações de picadas) ou negativos

    3. Perturbação completamente reversível da linguagem

    Presença de duas ou três características seguintes:

    1. Ocorrência de sintomas visuais situados no mesmo lado de cada hemicampo

    2. Ao menos um dos sintomas se desenvolve progressivamente por 5 minutos ou menos, ou os diferentes sintomas surgem sucessivamente por 5 minutos ou menos

    3. Cada sintoma dura entre 5 e 60 minutos


    O tratamento convencional das migrâneas

    Antálgicos, Beta-bloqueadores, triptanos, neurolépticos


    A contribuição da auriculoterapia nas migrâneas

    Em 1977, Paul Nogier descreveu alguns pontos no livro “Introdução prática à Auriculoterapia”. Para as migrâneas ele aconselha o ponto do olho. Para as cefaleias ele aconselha múltiplos pontos: olho, pâncreas, agressividade, ponto mestre cerebral sobre o anti-tragus.

    Em 2002, Allais comparou em 160 pacientes a eficácia da acupuntura versus a flunarizina. A acupuntura se revelou mais eficaz que o medicamento na redução do numero de crises de migrânea nos quatro primeiros meses de tratamento e mostrou uma incidência reduzida de efeitos colaterais.

    Em 2004: Bernard Leclerc em « Auriculothérapie, traité d’acupuncture auriculaire» propôs:

    1. Ponto dos cosmonautas com agulha ASP
    2. Vesícula Biliar à direita, pâncreas à esquerda com agulha ASP
    3. Ponto genital bilateral se as dores se agravarem durante a menstruação ou ovulação com agulha ASP
    4. Ponto mestre sensorial, lobular, bilateral
    5. O’ bilateral com agulha ASP
    6. Trigemos contralateral com agulha ASP

    Em 2007, Jean Louis Mémain fez um trabalho sobre as cefaléias catameniais. "Os mais de 20 anos de experiência prática da acupuntura auricular nos permitiu determinar a presença regular de um ponto do pavilhão auricular, com ou sem algumas queixas. Este ponto é a localização do ponto do joelho na fase 1 da orelha direita do destro."

    "A presença do ponto do joelho na orelha direita da mulher destra , detectado por luminosidade verde testemunha constantemente um problema doloroso ligado à ciclos: dismenorreias ou migrâneas catameniais.”

    Em 2009, no simpósio de Bologna, Allais, Romoli et coll mostraram a eficácia da zona do anti-tragus na luta contra a dor de cefaleia migranosa.

    Na revista Neurol Sci, June 1, 2010 Allais et coll:

    O teste de contato da agulha (NCT) é um diagnóstico técnico útil para identificar, através do contato com a agulha na pele da orelha,o ponto mais eficaz para reduzir a dor durante o ataque da migrânea. O objetivo deste estudo foi identificar a mais importante zona auricular para o controle da dor aplicando o NCT num grupo de 15 mulheres durante um ataque unilateral de migrânea sem aura. Nós também percebemos o quão efetiva a inserção de uma agulha semi-permanente nestas zonas pode ser para reduzir a dor da enxaqueca durante as próximas 24 horas. Os pontos mais efetivos no controle da dor estava localizados na parte ântero-interna do anti-tragus, na parte anterior do lóbulo e na parte superior da concha ipsilateral ao lado da dor. A inserção de uma agulha semi-permanente nessas zonas, permitiu um estável controle da dor da migrânea, que ocorreu após 30 minutos e persistiu no mesmo nível até 24h depois (ANOVA for repeated measures: p < 0.01). A dor foi testada com uma escala visual analógica; os valores conseguidos foram os seguintes: 7.6 +/- 1.6 na baseline e 4.3 +/- 1.7; 4.1 +/- 1.9; 3.9 +/- 1.8; 3.4 +/- 1.8; 2.3 +/- 1.6 depois, respectivamente, 15, 30, 60, 120 minutos e 24 h.


    Minha experiência pessoal com auriculoterapia e auriculomedicina

    Eu tive a oportunidade de tratar numerosos casos de migrâneas nos últimos 20 anos. Em auriculomedicina nós devemos fazer a diferença entre o tratamento da crise aguda e o tratamento de fundo da migrânea

    1. O tratamento da crise migranosa.

    Quando em um acesso de crise de enxaqueca, o primeiro ponto que nós devemos procurar é o ponto O’. Nós devemos o procurar nas duas orelhas com um DETECTOR ELÉTRICO em busca de uma menor resistência elétrica cutânea e os tratar com uma agulha ASP.

    Numa segunda fase nós procuramos os pontos dolorosos situados principalmente sobre o lóbulo ou no anti-tragus. Para isto, nós utilizamos o DETECTOR DE PRESSÃO AZUL de (250 gramas) da em busca de pontos que disparam o “sinal da careta”. Os pontos serão tratados com as ASP. As vezes somos obrigados a escolher certas zonas. Nós encontramos frequentemente pontos sobre a zona de representação do trigêmeo descrita por Paul NOGIER e René BOURDIOL.

    1. O tratamento de fundo.

    Geralmente, os pacientes nos chegam fora da crise. Neste caso, é importante eliminar certas causas fáceis que poderiam estar associadas à enxaqueca. O interrogatório é super importante:

    1. Com qual idade começou as migrâneas ?
    2. Quais são os horários que elas acontecem? Com qual frequência?
    3. Quais são os medicamentos consumidos?
    4. Quais são os fatores desencadeantes: Esporte? Falta de sono? Menstruação? Contrariedades ?

    A) Reconhecimento de migrâneas iatrogênicas e principalmente as pílulas anticoncepcionais, hormônios, DIU. Nas mulheres, é comum se ver o início das enxaquecas depois de dois ou três anos de utilização de pílulas. Nestes casos, é preciso pesquisar uma origem alimentar pois sabemos que o uso prolongado de pílulas pode ser a origem de algumas alergias alimentares.

    B) Reconhecimento de um problema de convergência ocular. Neste caso, as migrâneas começam após uma leitura prolongada, após conduzir um automóvel, ou trabalhar no computador. Estas migrâneas melhoram muito após a aplicação do ponto O’ e de uma reeducação dos olhos.

    C) Reconhecimento de uma alergia alimentar. As migrâneas provocadas por uma alergia alimentar parecem ser muito frequentes. Existe uma abundante literatura anglo-saxã fazendo referencia à elas. É importante não confundir alimentos desencadeantes: como o vinho branco, chocolate, atum em conserva etc... com os alimentos alergisantes que os pacientes nem sabem quais são. A dificuldade consiste principalmente em reconhecer os pacientes alérgicos. De modo geral, são mulheres que não foram amamentadas, com infecções de ouvido na infância, com histórico de espasmofilia tetânica cujas enxaquecas começam na puberdade e se acentuam progressivamente.

    O interrogatório permite pesquisar dores abdominais e aversões alimentares.

    O exame físico é importante:

  • A pele é fina, pálida, translúcida, refringente à luz
  • Presença de uma linha azul sob os olhos.
  • Hipotensão arterial frequentemente encontrada.

  • Os testes associados ao VAS vão nos permitir encontrar “o” ou “os” alimentos implicados. De acordo com minha experiência, eu encontro mais comumente alergias à:

  • Lácteos: leite, queijo, iogurte;
  • Trigo e cereais
  • Batatas
  • Cítricos

  • É importante eliminar estes alimentos por pelo menos algumas semanas para obter os resultados.

    D) Reconhecimento de uma cicatriz tóxica:

    Importânica do interrogatório. ++++++

    Teste do algodão

    Fenômeno do enfraquecimento do VAS. Frequente após 6 ou 7 flashs. Busca de pontos auriculares com a ponta preta.

    E) Reconhecimento de um foco dentário

    Busca de um fenômeno de enfraquecimento do VAS. De modo geral, assim que detectamos um fenômeno de enfraquecimento ligado à um foco dentário, o sinal fraco acontece muito rapidamente. Após 1 ou 2 flashs de luz. O teste sob o dente permite de reconhecer o dente causal.

    F) Reconhecimento de uma primeira costela

    Avaliar a simetria dos pulsos, com o paciente em pé, observar com o paciente olhando para frente ou quando ele roda a cabeça à direita ou esquerda.

    G ) Pesquisar os pontos da orelha mais importantes

    Quando em tratamento das migrâneas fora da crise, nós devemos procurar os pontos com o DETECTOR ELÉTRICO e não com palpador de pressão. Os pontos mais importantes, segundo minha experiência são:

  • Ponto O’
  • Ponto do olho
  • Ponto do trigêmeo
  • Ponto hepático e pancreático
  • Ponto Shen Men
  • Ponto do joelho
  • Pontos do anti-tragus

  • Conclusão

    A migrânea é realmente uma indicação para tratamento com Auriculoterapia e auriculomedicina. Por mais que eu ainda não tenha feito uma estatística precisa, eu encontro na maioria dos casos de migrâneas uma alergia alimentar. Eu fico surpreso em constatar a importância das alergias às batatas que não são descritas em nenhuma parte da literatura.

    Bibliografia

    ALLAIS G , ROMOLI M, ROLANDO S, BENEDETTO C: Appropiate vesus inappropriate selection of ear acupoints in the treatment of migraine attacks. 6 th International Symposium of auriculotherapy and auriculomedicine Bologne 2009

    BOURDIOL RJ: Eléments d’auriculothérapie. Maisonneuve 1980

    DELPUECH J.P : Un cas de migraines. Journal Auriculomédecine n° 22, janvier 1981 page 23.

    LECLERC Bernard : Auriculothérapie. Editions personnelles 2004

    MEMAIN J.L: Auriculosophie in «les annales du Glem 2008 2009». page 83 Glem

    NOGIER PFM: traité d’auriculothérapie. Maisonneuve 1969

    NOGIER PFM : Introduction pratique à l’auriculothérapie. Maisonneuve éditeur 1977

    NOGIER PFM, BOURDIOL RJ. Loci auriculomedicinae. Maisonneuve 1979

    NOGIER R: Auriculothérapie du premier degré. Editions Sauramps médical Montpellier 2000

    ROMOLI M : Agopunctura Auriculare UTET 2003 ROMOLI M: Auricular acupuncture diagnosis. Churchill Livingstone elsevier 2009

    ROUSSET H, VITAL-DURAND.D, DUPOND.J.L, PAVIC.M: «Diagnostics difficiles en médecine interne». Maloine. 2008

    Voltar para Todos os Artigos